Sistema de Mobilidade do Mondego

paragem MM

CIM-RC e Autarcas reúnem com a CCDRC com vista a encontrar solução

Solidária com a necessidade de definição e avanço do Sistema de Mobilidade do Mondego, a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra solicitou uma reunião à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) com vista à conclusão de estudos que permitam a clarificação da solução técnica a adotar no Sistema de Mobilidade do Mondego.

No encontro realizado hoje, quarta-feira, e que contou com a participação do Presidente da CIM RC, Dr. João Ataíde, Secretário Executivo da CIM RC, Dr. Jorge Brito, Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Dr. Manuel Machado, do Presidente da Câmara Municipal de Lousã, Dr. Luís Antunes, do Presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, Dr. Miguel Baptista, do Presidente da Sociedade Metro Mondego, Eng.o João Rebelo, e da Presidente da CCDRC, Dr.a Ana Abrunhosa foi solicitado à Comissão de Coordenação o terminus dos trabalhos realizados pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil com vista à clarificação da solução a adotar, tendo em atenção o atual quadro de restrições financeiras e as prioridades estratégicas da Comissão Europeia. Foi igualmente solicitada a alocação de verbas do Programa Operacional Regional do Centro a este investimento.

A CIM e os Autarcas mostram-se convencidos que é imperativo clarificar a solução técnica para este problema regional devendo este trabalho ser realizado por uma entidade insuspeita como o LNEC. Contudo, foi dada nota que não podem ser desperdiçados os mais de 100 milhões de euros investidos.

Consideram igualmente que o projeto para ser viável e sustentável deve integrar a componente inter-urbana com a urbana, o que exigirá um esforço coletivo do Programa Operacional Regional do Centro, do Orçamento de Estado e eventualmente de outros Programas Operacionais Temáticos, de modo a que o projeto saia finalmente do papel.

A Presidente da CCDRC, Dr.a Ana Abrunhosa, esclareceu sobre os passos efetuados na procura de financiamento no Programa Operacional Regional do Centro para o Sistema de Mobilidade do Mondego.

Recordou que a atual solução para o Sistema de Mobilidade do Mondego foi apresentada à Comissão Europeia aquando da preparação do Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 e foi recusada porque foi considerado que o projeto não era viável nem sustentável, bem como carecia da apresentação de outras soluções tecnológicas alternativas. Assegurou, também, que a contratação do LNEC, em junho de 2015, visou dar resposta às questões levantadas pela Comissão Europeia.

A conclusão da segunda fase dos estudos do LNEC, que que não levam mais do que 6 meses, é fundamental para uma candidatura deste projeto a fundos comunitários. Em qualquer circunstância, o programa Operacional do Centro terá de ser reprogramado para contemplar o financiamento do Sistema de Mobilidade do Mondego.

Assim, CIM e os Autarcas, sublinham, que a decisão final sobre este importante projeto para a Região está dependente do Governo e das opções estratégicas no âmbito de uma reprogramação do Portugal 2020, nomeadamente na definição de uma solução integrada para o financiamento do Sistema de Mobilidade do Mondego.